.justiça divina.

“Ouçam isto, anciãos; escutem, todos os habitantes do país. Já aconteceu algo assim nos seus dias? Ou nos dias dos seus antepassados? Contem aos seus filhos o que aconteceu, e eles aos seus netos, e os seus netos, à geração seguinte.

Joel 1: 2-3

No antigo testamento se fala mais da justiça do que da misericórdia. A exortação que Joel dá, não é em falar que Deus nos ama, que ele nos aceita e tal. É que falemos das lutas e batalhas, que mostremos o poder de Deus e quão insatisfeito ele deve estar com o mundo. E se analisarmos bem, Joel está certo; as pessoas tem brincado de serem cristãs por saberem que Deus é amor, que ele perdoa, e acabam sujeitando ou pensando que podem um Deus tão inexplicável a ser serviçal, a aceitar que elas façam o que bem entenderem, pecando deliberadamente por crerem que no fim Deus vai e tem que perdoar o mundo inteiro. Na verdade, esse amor excessivo que sempre pregamos e essa “passação de mãos nas cabeças”, não tem gerado pessoas que brincam de serem cristãs, mas sim, pessoas condenadas ao inferno. Não! Isso não é pra todos, alguns realmente precisam se sentir amados. Falo dos que já estão frequentando igrejas, dos condenados que chamamos de irmãos tão falsamente, que vemos eles se afogando na lama e, dizendo ser crentes, não fazemos nada!

Agora, como pode ser cristão alguém que diz amar, mas prefere criticar o caráter o falta dele, de alguém à ajudar? A Bíblia diz que aqueles que passaram em nossa vida e morreram sem ouvir a Verdade serão sangue em nossas mãos. Os frequentadores de templo, leram a Bíblia, mas não conheceram a Verdade, que é Cristo! E esse sangue está em nossas mãos; mas ainda da tempo de ajudar e demonstrar o amor que tanto pregamos.

O verdadeiro amor é falar a Verdade: “Ah! Aquele dia! Sim, o dia do Senhor está próximo, como destruição poderosa da parte do Todo-Poderoso, ele virá.” Joel 1:15


Pregue o arrependimento pra que a pessoa sinta o amor, não o amor pra que ela se sinta confortável.


Pra ouvir:


 

2 comentários em “.justiça divina.

  1. Deus é amor, mas também é justiça. Quantas vezes pensamos que essa justiça só cabia aos outros, pois é, ela se aplica a todos nós sem desigualdade, sem proteção. O cristão sabe da importância do testemunho de uma vida em Cristo por conhecer, por já terem ouvido. Sabemos que para crer é preciso conhecer, mas como conhcer se ninguém falar? Falar de Jesus e do Seu poder de transformação é uma grande prova de amor ao próximo.

Deixe uma resposta